História - 1 de outubro de 2018

Aí Deu “Sodade”!

A Igreja São José em dois Momentos!<>

Fotos 01:
Ângulo I, o Momento da Procissão: “Olha lá, vai passando a Procissão, se arrastando que nem cobra pelo chão. As pessoas que nela vão passando, acreditam nas coisas lá do céu. As mulheres cantando tiram versos e os homens escutando tiram o chapéu”... Nestes versos de Gilberto Gil, a mostra da fé do Povo de Deus. E com os monlevadenses, operários e seus familiares, que chegaram aqui em busca de trabalho e uma vida mais digna, não foi diferente, imbuídos na fé cristã e na Igreja Católica Apostólica Romana. Nesta foto, dos anos 1960, durante uma celebração da Semana Santa, os fiéis seguem em Procissão pela Rua Piracicaba, entre Bandeirolas, beirando a linha férrea, ao som da Banda de Música. As beatas com seus véus sobre a cabeça e à frente o Pálio onde vai a Imagem do Senhor Jesus. Do outro lado do rio, como fosse uma pintura, a bela Matriz de São José Operário, que completa 70 anos de sua Sagração. Parabéns!

Foto 02:

Ângulo II, o Momento da Travessia: “...Vou querer amar de novo e se não der não vou sofrer. Já não sonho, hoje faço com meu braço o meu viver”. Na música de Milton Nascimento e Fernando Brant, é preciso sempre buscar o amor, porque ele faz parte da vida para que a travessia seja cumprida. Assim como se atravessa a ponte que une um lado ao outro do rio.
Nesta fotografia, na nossa João Monlevade, também da década de 1960, do alto, majestosa, a Igreja Matriz São José Operário, no seus 70º aniversário, como que observa o cidadão solitário que atravessa a ponte de madeira sobre o rio Piracicaba, passando para o outro lado do rio Piracicaba, entre a Rua Tapajós e a Beira-Rio. Esta ponte foi destruída pela enchente de 1969, dando lugar à nova, construída em alvenaria. Mas a história continuou seguindo seu rumo!