Opinião - 4 de maio de 2018

Memória Literária – F. de Paula Santos

Foi em 2008, na fase anterior do jornal “Morro do Geo” – edição 124 -, que vi pela primeira vez o escritor monlevadense Jairo Martins de Souza, ser citado. Por ocasião da chegada do seu livro “Bazar Monlevade – Por trás das Vitrines”, editado naquele ano. E a matéria já no seu início mostrava a grande ligação do escritor com sua terra natal, João Monlevade: (...) “Nascido na região conhecida como “Três Casas” na estrada de acesso ao Jacuí...”, e seguia assim apresentando ao leitor o filho que voltava à sua cidade de origem para mostrar a gratidão que nunca faltou às suas raízes.
Falar – ou escrever – sobre Jairo, é lembrar Monlevade em tom maior. A partir da primeira obra, onde o autor fala dos desafios de sua família, tradicionalmente conhecida desde os tempos da Rua dos Contratados com o “Bazar” e depois “Casa Jaime”, na também extinta Praça do Mercado, “casa” que depois se estabeleceu em Carneirinhos, até o “Decano”, lançado em 2016, muita coisa boa foi criada por este romancista. O “Dossiê Monlevade”, editado também em 2008, é exemplo disto, Em seguida veio “Jean Monlevade, do Castelo à Forja”, lançado em 2009, abrindo caminho para se conhecer melhor o grande Pioneiro que deu nome à nossa cidade. Aqui também Jairo encarna o pioneirismo ao ser o primeiro a romancear a vida do francês que escolheu nossa região para fazer história na siderurgia nacional. Antes se conhecia apenas “Monlevade, Vida e Obra”, biografia lançada em 1974.
Em 2013, este importante engenheiro monlevadense, que reside há mais de 30 anos no Espírito Santo, lança “1950. Entre Noivos – O Boticário e a Normalista”, livro aclamado no meio acadêmico por quem entende e gosta da boa literatura. Em 2016, como já citamos, foi a vez de “O Decano”, obra que vem confirmar a mão firme deste monlevadense no caminho das letras.
O pouco espaço que temos não nos permite aprofundar na vida, nem tão pouco falar mais da arte deste autor nato. De Jairo Martins de Souza, suas obras o atestam; nos livros a certeza de uma ótima leitura, onde a literatura de qualidade é sua marca maior. Bom é saber que a “saga” continua. Mesmo sem consultar o escritor e amigo – aposto aqui na sua grande generosidade para perdoar as falhas -, sei que um novo livro está a caminho. Será bem vindo, com certeza!