Especial - 5 de junho de 2018

Orquestra de Violeiros encanta público em Monlevade

Através da iniciativa do jornal “Morro do Geo”, em parceria com a Fundação Casa de Cultura de João Monlevade, e com apoio da Paróquia São José Operário, a Orquestra de Violeiros Arpejo, da cidade de Ouro Branco, apresentou-se em João Monlevade, no último dia 6 de maio, encantando o grande publico que compareceu. O evento se deu na Praça da Igreja Matriz São José Operário, em frente à Gruta de Nossa Senhora de Lourdes, Centro Industrial. Foi um domingo diferente, onde os cerca de 30 músicos presentes apresentaram a tradicional “Roda de Viola” e um repertório de música de raiz, entre o antigo e a vanguarda, ou seja, a música genuinamente brasileira. Não houve quem estivesse ali, entre gerações distintas, que não se emocionasse. “Foi maravilhoso ver famílias, pessoas novas e idosas, cantando junto aos violeiros, emocionados. Uma hora e meia de um espetáculo que há muito não se via e que encantou a todos que aqui compareceram”, disse a ativista cultura e sócia-proprietária da “República Literária”, Jacqueline Silvério.
Para o maestro da Orquestra, Rosélio Araújo, que foram recepcionados com um almoço no Restaurante e Pizzaria “Magalito”, foi uma tarde especial e ficou muito feliz por ter se apresentado em Monlevade, e pelo público ter sido tão receptivo e participativo. Dois monlevadenses que integram o Grupo de Violeiros sentiram-se muito honrados em poder tocar na terra-natal. “Foi muito bom estar aqui na minha cidade, junto aos meus pais e meus amigos”, disse Thales Vinícius Machado, filho do casal “Pompeia” e Felícia, residente no Bairro República. O outro monlevadense que integra a Orquestra, e também compositor, hoje residente em Ouro Branco, é Clever Júlio da Silva, popular “Bambu”, e sua esposa Marlene Soares da Silva (Ilda). Também ara eles, foi maravilhoso retornar à cidade e encontrar um público que interagiu tanto com os violeiros.