História - 3 de julho de 2018

Memória Literária

F. de Paula Santos




Monlevade, vida e obra: este é o livro! É mesmo ótimo trabalho da professora Juliana Maria do Nascimento Passos que se encontra a informação mais qualificada sobre o nosso pioneiro, o francês Jean Antonie Félix Dissandes de Monlevade. Contratada pela extinta A.M.S.S. – Associação Monlevade de Serviços Sociais -, o então titular da Cadeira de História Econômica da Universidade Católica de Minas Gerais, deu conta da missão. Depois de um longo e sério trabalho de pesquisa, montou um belo livro de 158 páginas, que traz o brasão dos Monlevade na capa e, para completar, uma foto do Solar.

1974: este é o ano. Pesquisando permanentemente o impresso monlevadense – no que se refere a livros, jornais e revistas (tenho vasto material) em arquivo – encontro sempre contradições quando o assunto é data. E como o “Monlevade, Vida e Obra”, não é diferente. No momento em que se desenvolveram diversos eventos em torno do bicentenário do nosso Pioneiro, é normal que sua biografia seja citada. E é incrível como os equívocos fazem parte da história.

Lançado em 21 de agosto de 1974, como notícia o jornal “Atualidades”, edição 291 – de 26/08 a 01/09/1974 – “no auditório da Assessoria Financeira da Cia. Siderúrgica Belgo-Mineira, Usina de Monlevade, numa (noite de) quarta-feira”, o livro é um documento imprescindível quando se trata da história de Jean, que se funde com a da nossa cidade. E o mesmo jornal “Atualidades”, na edição seguinte – de nº 292 -, traz como título de Capa: “No Congresso Nacional, deputado Paulino Cícero de Vasconcelos fala da importância de “Monlevade, Vida de Obra” -; a data do exemplar é de 02 a 08/09/1974. E completa o registro: “Esse pronunciamento foi retransmitido pelo noticiário radiofônico A Voz do Brasil”.

Era a cidade de João Monlevade, já em cenário nacional, mostrando a força de sua origem através do livro.