História dos Festivais da Canção de João Monlevade

Acima, o Maestro e compositor Luciano Lima entre o guitarrista Júlio e o contrabaixista Zely, quando defendiam a música vencedora.

João Monlevade é uma cidade atípica, onde tudo teve seu tempo e, infelizmente, muitas raízes não vingaram e as tradições não permaneceram. Mas, dentro de seu tempo, houve um boom que foi o período dos festivais da canção, acompanhando a moda que veio da televisão.

Em nível local, havia um grande envolvimento na cidade entre os anos 1960/70 com os shows de calouros que eram transmitidos ao vivo no auditório da Rádio Cultura e foi um grande sucesso na época, assim como também no Cine Monlevade, e tais movimentos também influenciaram que que fosse aberta a temporada dos festivais da canção em João Monlevade, à moda dos saudosos festivais realizados pelas TV´s Excelsior e Record.

No Brasil, os festivais da canção deram um espaço alternativo aos compositores que iniciavam as suas carreiras, e era ali, nos palcos, que surgiram vários talentos. A época de ouro no país surgiu a partir da década de 60, com os festivais promovidos pela TV Excelsior e TV Record. Ali tinha início o boom da MPB pela televisão, já que até aquela época os grandes cantores e compositores só se apresentavam nos programas de rádio. A música brasileira ganharia nova roupagem e surgiram movimentos interessantes, como a Bossa Nova, o Tropicalismo e mais tarde o pessoal de Minas, formando o Clube de Esquina. Sem contar a música que vinha dos compositores cearenses, pernambucanos e outros nordestinos.

A partir de 1974, a Rede Globo idealizou o Festival Abertura, quando novos valores também surgiram. E décadas de 60/70 ficaram marcadas por influenciar cidades de todo o país a também promover os seus festivais.

O início se deu no Cine São Geraldo

João Monlevade também viveu grandes festivais. O primeiro a ser realizado foi promovido por um ex-funcionário do BEMGE, de nome René, que tinha o apelido de “Faixa Branca”. O evento tinha fins lucrativos e, por isto, não foi bem sucedido, culminando com o compositor Sérgio Bittencourt fazendo críticas em um programa que tinha na TV Itacolomi, por ter participado do júri remuneradamente, e não ter recebido. O Cine São Geraldo foi o palco desse primeiro festival, em 1971.

 Em 1972, novamente no Cine São Geraldo, mas o poder público assumia o Festival da Canção, cujo prefeito era Antônio Gonçalves, popular “Pirraça”. Atuou como organizador Wilson Vaccari. Uma música de autoria do Maestro Luciano Lima, que regia o Coral Monlevade, foi o vencedor.

Os nomes da Organização

Os festivais da canção em Monlevade marcaram as décadas de 1970/80, e foram homens como Wilson Vaccari, Guido Walamiel, Chico Franco e João Bosco Pascoal, além dos ex-prefeitos Antônio Gonçalves, Lúcio Flávio e Germin Loureiro, responsáveis diretos em manter a tradição por quase duas décadas.

Eles organizaram e por vários anos mantiveram a tradição em um dos grandes festivais de Minas.

Nesta foto abaixo, durante o Festival da Canção de 1971, Luciano Lima recebe o troféu, aparecendo ao lado o apresentador Wilson Vaccari ao lado os músicos do Conjunto Monson, saudosos Zé Paulo e “Bodão”, além da de Gilda Lima com um dos filhos.

Pesquisa e Fotografias: Jornal “Morro do Geo” !

Revista “Mostrar”

Articulista Francisco Franco Sobrinho

Compartilhe esta postagem

Deixe um comentário

Postagens relacionadas

Notícias por Categoria

Cultura

História

Seja assinante!

Assine agora mesmo por apenas R$ 47,90 Anuais!

Já é assinante?

Faça seu login!