História dos Festivais da Canção de João Monlevade

Acima, o Maestro e compositor Luciano Lima entre o guitarrista Júlio e o contrabaixista Zely, quando defendiam a música vencedora.

João Monlevade é uma cidade atípica, onde tudo teve seu tempo e, infelizmente, muitas raízes não vingaram e as tradições não permaneceram. Mas, dentro de seu tempo, houve um boom que foi o período dos festivais da canção, acompanhando a moda que veio da televisão.

Em nível local, havia um grande envolvimento na cidade entre os anos 1960/70 com os shows de calouros que eram transmitidos ao vivo no auditório da Rádio Cultura e foi um grande sucesso na época, assim como também no Cine Monlevade, e tais movimentos também influenciaram que que fosse aberta a temporada dos festivais da canção em João Monlevade, à moda dos saudosos festivais realizados pelas TV´s Excelsior e Record.

No Brasil, os festivais da canção deram um espaço alternativo aos compositores que iniciavam as suas carreiras, e era ali, nos palcos, que surgiram vários talentos. A época de ouro no país surgiu a partir da década de 60, com os festivais promovidos pela TV Excelsior e TV Record. Ali tinha início o boom da MPB pela televisão, já que até aquela época os grandes cantores e compositores só se apresentavam nos programas de rádio. A música brasileira ganharia nova roupagem e surgiram movimentos interessantes, como a Bossa Nova, o Tropicalismo e mais tarde o pessoal de Minas, formando o Clube de Esquina. Sem contar a música que vinha dos compositores cearenses, pernambucanos e outros nordestinos.

A partir de 1974, a Rede Globo idealizou o Festival Abertura, quando novos valores também surgiram. E décadas de 60/70 ficaram marcadas por influenciar cidades de todo o país a também promover os seus festivais.

O início se deu no Cine São Geraldo

João Monlevade também viveu grandes festivais. O primeiro a ser realizado foi promovido por um ex-funcionário do BEMGE, de nome René, que tinha o apelido de “Faixa Branca”. O evento tinha fins lucrativos e, por isto, não foi bem sucedido, culminando com o compositor Sérgio Bittencourt fazendo críticas em um programa que tinha na TV Itacolomi, por ter participado do júri remuneradamente, e não ter recebido. O Cine São Geraldo foi o palco desse primeiro festival, em 1971.

 Em 1972, novamente no Cine São Geraldo, mas o poder público assumia o Festival da Canção, cujo prefeito era Antônio Gonçalves, popular “Pirraça”. Atuou como organizador Wilson Vaccari. Uma música de autoria do Maestro Luciano Lima, que regia o Coral Monlevade, foi o vencedor.

Os nomes da Organização

Os festivais da canção em Monlevade marcaram as décadas de 1970/80, e foram homens como Wilson Vaccari, Guido Walamiel, Chico Franco e João Bosco Pascoal, além dos ex-prefeitos Antônio Gonçalves, Lúcio Flávio e Germin Loureiro, responsáveis diretos em manter a tradição por quase duas décadas.

Eles organizaram e por vários anos mantiveram a tradição em um dos grandes festivais de Minas.

Nesta foto abaixo, durante o Festival da Canção de 1971, Luciano Lima recebe o troféu, aparecendo ao lado o apresentador Wilson Vaccari ao lado os músicos do Conjunto Monson, saudosos Zé Paulo e “Bodão”, além da de Gilda Lima com um dos filhos.

Pesquisa e Fotografias: Jornal “Morro do Geo” !

Revista “Mostrar”

Articulista Francisco Franco Sobrinho

Compartilhe esta postagem

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email

Deixe uma resposta

Postagens relacionadas

Notícias por Categoria

Cultura

Esportes

Colunas

Seja assinante!

Assine agora mesmo por apenas R$ 47,90 Anuais!

Já é assinante?

Faça seu login!