Um pouco da história deste grande homem: Acrízio Engrácio!

 Um sujeito de estatura mediana, negro, simples operário da Belgo-Mineira. Mas, adiantado ao seu tempo e, com sua simplicidade, naturalidade e espontaneidade, e o jeito mineiro de ser, voou longe. Venceu os preconceitos da época e se tornou um cidadão que deixou sua obra imortalizada em sua terra, João Monlevade. Além de trabalhar na Usina, tinha tempo para muitas coisas, como dirigir escola de samba, promover festas e bailes – era um exímio dançarino -, e ainda um sonhador e porque não dizer, inventor. Afinal, foi ele quem criou o esporte aquático e que era praticado às margens do rio Piracicaba, que levou o nome, “Acrizobol”, . Isto muito antes de nascer o Pólo Aquático no Brasil,

A fotografia acima foi feita às margens do rio Piracicaba, pouco abaixo da ponte que liga a Beira-Rio ao Tieté, mostrando Acrízio Engrácio treinando a meninada o “Acrizobol”, esporte que ele mesmo inventou. E o detalhe que todos estão uniformizados.

Política o Disco para a viúva do Dr. Louis Ensch

  Quem conviveu com Acrízio Engrácio diz que ele era muito espirituoso e dono de uma habilidade na fala, e chegou a fazer discursos memoráveis. Sem falar na sua facilidade de comunicação e de conviver com as pessoas, independentemente da condição social. Tanto que, segundo contaram os historiadores da época, logo após a morte do diretor da Belgo-Mineira, Louis Jacques Ensch, que ocorreu em 1953, Acrízio Engrácio teria gravado um disco vinil, Long Play, pela Gravadora Bemol, na capital mineira, com uma música de sua autoria em homenagem ao engenheiro luxemburguês. E ele fez questão de ir pessoalmente ao apartamento da viúva do Dr. Louis Ensch, Dona Cici, que residia em Belo Horizonte, para presenteá-la com o disco.

  Mas, a vida social do moço simples não bastava e ele almejava voos mais altos. Tanto que, em 1965, resolveu entrar na vida política e candidatou-se a uma vaga na Câmara Municipal de João Monlevade e, pelo voto direto, foi eleito e fez parte da 1ª Casa Legislativa do município, após a emancipação, ficando no cargo de 1965 a 1966.

Aqui duas fotos de sua vida política. A primeira quando assinava seu Livro de Posse como vereador eleito e a segunda em pose com os outros vereadores eleitos.

Rádio Lobisomem

Mas, antes disto, em 1959, o simples operário da Usina da Belgo-Mineira, sempre à frente do seu tempo, instalou na sede do Sindicato dos Trabalhadores Metalúrgicos, no Bairro Cidade Alta, uma pequena emissora, com transmissor precário, apelidada de Rádio “Lobisomem”.

De acordo com um artigo escrito pela professora aposentada e historiadora Coramar Alves, na “Coluna da Cora”, publicada na edição de nº 48 do jornal “Morro do Geo”, de 10 de janeiro de 2003, a emissora foi ao ar por alguns meses, com programas de calouros e uma programação variada, e obteve apoio do engenheiro Joseph Hein, então diretor da Usina da Belgo-Mineira em Monlevade, que teria sido inclusive o responsável pela liberação do transmissor. Afinal, Acrízio Engrácio tinha o “jeitinho” próprio de conseguir as coisas, pela sua simpatia e boa prosa. Pode-se dizer que foi ele pioneiro na transmissão do serviço radiofônico em João Monlevade.

Na foto abaixo, durante seus tempos de rádio, quando ele se apresentava em um Show de Calouros, junto às cantoras Nilza Roberto e Catarina.

Saudoso Acrízio Engrácio, um homem à frente de seu tempo e que tornou-se imortal pela obra deixada em João Monlevade!

Compartilhe esta postagem

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email

Deixe um comentário

Postagens relacionadas

Notícias por Categoria

Cultura

Esportes

Colunas

Seja assinante!

Assine agora mesmo por apenas R$ 47,90 Anuais!

Já é assinante?

Faça seu login!