A Construção do Canal de Carneirinhos!

Aqui a Avenida Wilson Alvarenga construída, sendo então concluída uma das etapas da canalização do Córrego de Carneirinhos

O Carneirinhos de antigamente não pode, nem de longe, ser comparado ao de hoje. Com um crescimento verticalizado impressionante, o Bairro hoje é elegante e mais se parece com um grande centro comercial. Afinal, muitos o confundem como sendo ele a cidade de João Monlevade. Tanto cresceu que nem mesmo suas duas principais avenidas suportam mais o tráfego intenso de veículos.

  No entanto, mas Carneirinhos começou bem modesto, e suas construções nasceram sobre terra de chão batido. A iluminação era precária e sair do chamado Centro Industrial para se chegar a Carneirinhos era “programa de índio”, principalmente na época de chuvas. Isso porque o canal enchia e descia lama e água para todo lado. Muitas vezes enchentes ficaram famosas, como a de 1969, quando animais desciam pela correnteza do córrego de Carneirinhos. Algumas das fotografias abaixo e ao lado mostram horrores causados pelas chuvas, quando Carneirinhos não contava com nenhuma infra-estrutura adequada. Pontes provisórias eram construídas, como uma na Rua Hidelbrando Santana e outra na Armando Batista, também flagradas nas fotos.

Abaixo, uma fotografia da enchente de novembro de 1969, que deixou muito estrago em Carneirinhos e região

Trecho urbano destruído pelas enchentes de 1969

Ponte provisória de madeira, no Rio Carneirinhos

Governando João Monlevade de 1967 a 1970, o ex-prefeito Germin Loureiro (Bio), quem deu o pontapé inicial na obra de canalização do córrego de Carneirinhos. Foi exatamente no último ano de seu primeiro mandato que ele decidiu iniciar o planejamento da obra, atendendo às necessidades devido às enchentes de novembro de 1969 e que deixaram grandes estragos na área de Carneirinhos, culminando em muito prejuízo. A partir dali, deu início às obras para a execução dos serviços, abrindo o processo licitatório. A Ápia foi a empresa que venceria a licitação, sendo o projeto elaborado pelo professor Radamés. No governo de Bio, foi executada uma parte do canal, entre o Posto Satélite (Castelinho) e o Centro Educacional. Foi também em seu primeiro governo que Germin Loureiro construiu a Estação de Tratamento de Água (ETA), nas Pacas.

Nesta fotografia, no início de 1970, durante o último ano de seu 1º mandato, o prefeito Germin Loureiro (Bio), ao centro, de camisa branca, durante o início das obras de canalização do Córrego de Carneirinhos, durante conversa com os responsáveis pela obra

Na foto abaixo, momento que era feita a ampliação da rede de esgotos

Mudança de Governo e inauguração da Avenida Wilson Alvarenga

  Novas eleições ocorreram em 1970 e saiu vitorioso o professor Antônio Gonçalves, popular “Pirraça”. Tão logo assumiu o governo, em 31 de janeiro de 1971, o novo Chefe do Executivo colocou então como uma de suas prioridades de governo dar continuidade à obra. Naquela oportunidade, ele exigiu do professor Radamés algumas mudanças no projeto original, pelo fato de o canal contar com muitas curvas. A Ápia deu continuidade à obra, que ficou sob a supervisão do arquiteto Odilon Junqueira Júnior, ex-aluno do professor Radamés e que o prefeito Antônio Gonçalves convidou para assumir o Departamento de Viação e Obras Viárias. A obra foi toda concluída até o entroncamento com a avenida Getúlio Vargas, em Carneirinhos. No dia 7 de setembro de 1972, com uma grande festa, era inaugurada, não só a canalização do córrego, mas uma nova avenida em João Monlevade, e completamente asfaltada, denominada Av. Wilson Alvarenga, no trecho entre o Castelinho até onde está instalado hoje o Depósito Macogel.

Aqui a concretagem  do leito do canal

Fase final do capeamento do leito do canal

Nas fotos abaixo, o prefeito Antônio Gonçalves e a 1ª Dama Helena Gonçalves fazedo o corte da fita simbólica marcando a inauguração da Avenida Wilson Alvarenga, ao lado da viúva do 1º prefeito de João Monlevade, e um de seus filhos; na outra uma vista parcial da nova Avenida; e a última mostra a Placa instalada para deixar registrada a inauguração da grande obra

A parte final da obra foi executada pelo prefeito Lúcio Flávio de Souza Mesquita (foto abaixo), eleito em 1972. Ele governou João Monlevade de 1973 a 1976 e deu continuidade à canalização do canal, cuja finalização da obra se deu em 1975, estendendo-se a Avenida Wilson Alvarenga até o Bairro Areia Preta. Foi uma obra vultuosa para a época e que muito contribuiu para o sistema viário de nossa cidade.

*Pesquisa e Texto: Jornalista Marcelo Melo – Jornal “Morro do Geo”!

Compartilhe esta postagem

Deixe um comentário

Postagens relacionadas

Notícias por Categoria

Cultura

História

Seja assinante!

Assine agora mesmo por apenas R$ 47,90 Anuais!

Já é assinante?

Faça seu login!