Marcas do que se foi…

João Monlevade já contou com grandes conjuntos musicais, hoje chamadas bandas, principalmente nos anos dourados, entre 1960 a 1970. Foram duas décadas onde esses grupos se expandiram, desde os tempos de Zé Teco, passando pelos “The Friends” e depois “Monson”, “The´funtos”, onde a voz da cantora Vilminha encantava. Músicos como Weber Costa na guitarra; Geraldo “Golão” no baixo; Nozinho na batera; Waltinho também na bateria; Paulinho, grande guitarrista; Ferreira baterista; o saudoso Zely no violão e o outro saudoso Zé Paulo, no contra-baixo. Grandes nomes que fizeram sucesso naquela época.

E, para relembrar um pouco desse passado, apresentaremos nesta edição um conjunto musical formado no Grêmio Esportivo Monlevadense, aqui durante um baile realizado no clube. No palco, entre outros músicos, aparecem Eustáquio Ambrósio, no acordeon; Cuité, no sax; Agostinho Engrácio, tocando violoncelo e Carocinho, na bateria. Um tempo que deixou saudade!

Compartilhe esta postagem

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email

Deixe uma resposta

Postagens relacionadas

Notícias por Categoria

Cultura

Esportes

Colunas

Seja assinante!

Assine agora mesmo por apenas R$ 47,90 Anuais!

Já é assinante?

Faça seu login!