João Monlevade: Caminho de Riquezas! Marcelo Melo

A nossa antiga João Monlevade, que começava no rio, no rio de Piracicaba, antes no Arraial de São Miguel. Que saia da velha ponte de arame, ou de tábua. Que subia a Tapajós e desfilava pela Beira-Rio. Depois a Tocantins e passava ladeando os hotéis. Havia o sintuoso prédio do Cassino, herança europeia. Antes, o prédio da Caatanga. O velho pontilhão, o viaduto, o morro do Geo. As ruas Carijós, Tupis, Guaranis. O grupo de Tábua e ao alto a Pensão Velha; abrigavam os novos operários que chegavam. Lá em riba, pra cima da Usina, que aparece em seus letreiros “Companhia Siderúrgica Belgo-Mineira – Usina de Monlevade”. Quanto orgulho, sô, de aqui ser o berço da siderurgia nacional. Cidade Alta, deslumbrante! Praças do Mercado e do Cinema, apenas um eterno retrato na parede…

Pois é, mas hoje já são 56 anos. Não de história, pois já chegamos ao bi-centenário. Apenas de emancipação. E lá vai Monlevade subindo as montanhas…

Uma homenagem do “Morro do Geo”!

Compartilhe esta postagem

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email

Deixe uma resposta

Postagens relacionadas

Notícias por Categoria

Cultura

Esportes

Colunas

Seja assinante!

Assine agora mesmo por apenas R$ 47,90 Anuais!

Já é assinante?

Faça seu login!