Saudade da Cidade Velha!

A velha cidade ainda ainda serve de inspiração para muitos monlevadenses, pois ainda não conseguem apagar o tempo. Momentos vividos entre a Beira-Rio até a praça do Cinema. Entre a Siderúrgica, a Caatanga, até a praça do Mercado. E dos clubes que faziam parte daquele palco, entre o Grêmio ao Ideal.

Entre tantas lembranças – principalmente para os que nasceram entre os anos 1930/60 -, em primeiro plano um momento mágico vivido no Grêmio Esportivo Monlevadense, primeiro clube construído na cidade que promoveu a inclusão social, graças ao saudoso engenheiro Caetano Mascarenhas. Aqui o início do Clube, ainda sem o ginásio coberto, entre o final dos anos 1950: a quadra com jovens praticando esportes, o local que se preparava para a construção da piscina e o parque da meninada. Acima as casas da Rua Carijós, onde ficava o Grupo de Tábua. Mais ao alto aparecem algumas casinhas que compunham a famosa Cidade Alta. À direita, a Usina com suas cúpulas, a praça do Cinema, os hotéis e as casas da rua Piracicaba.

Maravilhosa João Monlevade, entre as montanhas e o povo que nela habitava.

Compartilhe esta postagem

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email

Deixe uma resposta

Postagens relacionadas

Notícias por Categoria

Cultura

Esportes

Colunas

Seja assinante!

Assine agora mesmo por apenas R$ 47,90 Anuais!

Já é assinante?

Faça seu login!