Década de 1980: Os Festivais se abriram para compositores de vários pontos do país

Os festivais da década de 1980 tiveram um nível mais elevado, já que começaram a participar compositores famosos, vindos de vários pontos do país. E também a premiação agradava. Em 1981, quando era prefeito Antônio Gonçalves, Foram três dias de grande animação, entre os dias 27 a 29 de abril, cuja coordenação estava a cargo do então vereador e apresentador Wilson Vaccari. João Monlevade comemorava seu 17º aniversário, sendo realizado no ginásio do Grêmio. A música vencedora foi “Interior”, de autoria de Jovelino Carvalho Gomes, de Governador Valadares. A 2ª colocada foi “Lua de Nilo”, de Geraldo Magela Melo, Paulo César e Roilson Trindade, de Monlevade; enquanto o 3º lugar ficou com “Sonho Azul”, de João Rosa Neto e Chico Franco. Os melhores intérpretes foram Rodolfo de Sabará, do Rio de Janeiro; e Myrian, da cidade de Ipatinga.

Já em 1986, quando comandava o Executivo o prefeito Germin Loureiro (Bio), o Festival de João Monlevade tomava um caráter mais cultural, passando a ser promovido pela Fundação Casa de Cultura, que tinha como coordenadores da área de música, Tó Vilela e Chico Franco, e o palco do evento já havia sido transferido para o Campo do Flamengo, em Carneirinhos, há que o Grêmio já havia sido destruído, dois anos antes. O professor e ativista cultural, Guido Valamiel, era um dos coordenadores do evento. Tinha início a era do compositor e cantor do Rio de Janeiro, Nilson Chaves, que chegou a vencer alguns festivais em João Monlevade. O primeiro deles foi exatamente em 1986, com a música “Índio Verde”. Em segundo lugar, ficou a música “Cantiga de Arruda”, de Milton Edilberto, de Araraquara – SP, outro grande nome em se tratando de festivais.

Na foto acima, o grande compositor e cantor carioca, Nilson Chaves, recebe o troféu das mãos do coordenador Gudo Valamiel, durante Festival da Canção realizado no Campo do Flamengo, em 1986.

Em 1987, o Festival passou a ser realizado no Estádio Louis Ensch. Nilson Chaves repetia a dose, vencendo. Em segundo lugar, a dupla Edílson Dio e Lima Júnior, da Bahia, com a música “Paixão”. O resultado de João Monlevade se repetia em 1988, no “Melhor dos Festivais de Minas Gerais”, promovido pela TURMINAS.

Luli e Lucina, duas compositoras famosas, com sucessos que estouraram na interpretação de Ney Matogrosso, como “O Vira”  e “Eu, bandoleiro” se faziam também presentes no Festival da Canção de João Monlevade de 1988. O vencedor naquele ano foi Eudes Fraga, com a música “Bailarina”. Elas ficaram com o 2º lugar, com a música “Bossa Velha”, uma linda canção.

Outros festivais da Canção foram realizados no Campo do Flamengo, coordenados elo empresário e então vereador João Bosco Vieira Paschoal, e sempre contando com shows de nomes famosos na MPB, que eram suas principais atrações como: Jair Rodrigues, Roberto Carlos, Sérgio Reis, Ronnie Von, Golden Boys, Kleyton e Kledyr, Saulo Laranjeiras, Sérgio Reis, Xangai, Antônio Carlos Nóbrega, Sá e Guarabyra e outros.

De lá para cá, dois ou três festivais foram realizados, mas sem aquela expressão característica, pois a música começava a tomar rumos distantes da verdadeira MPB, até que nos anos 1990 o tradicional Festival da Canção de João Monlevade chegou ao seu final, assim como outras tradições.

Show do grande artista pernambucano Antônio Carlos de Nóbrega, durante o Festival da Canção de 1988, realizado no estádio Louis Ensch. Neste mesmo ano ainda tiveram shows de Saulo Laranjeiras e Xangai, e um grande público prestigiou

Nossa Homenagem!

O “Morro do Geo” aproveita para prestar uma homenagem às pessoas que possibilitaram e participaram dos grandes festivais da Canção de João Monlevade, entre as décadas de 1970 a 1990. Todos foram fundamentais para fomentar a arte em nossa cidade.

Chico Franco, Neide Roberto, Maestro Luciano Lima, Amintas Franco, Afonso Franco, Júlio, – Zely, Paulinho da Guitarra, Zé Paulo e Waltinho da Bateria (Conjunto Monson) – Geraldo Agenor, Nozinho, Eustáquio Ambrósio, Weber Costa e Vilminha (Conjunto The Phuntos) -, Andréa Cleoni, Severino Miguel, “Bodão”, Rômulo Ras, Seu Cardoso, Tó Vilela, Nilton Canuto, Noel Canuto, João Félix, Mário Mendes, Andréia Silva, Louis Bonifácio, Jaqueline Silvério, João Marinheiro, Ângelo Tavares (Gelu), Vilma, o grupo “Afilhados do Sereno” e artistas famosos de todo país, como João Rosa, Roberto José, Nilson Chaves, Viola, Milton Edberto e Cia!

Foram nomes que fizeram parte dos grandes festivais da canção realizados em João Monlevade, além dos coordenadores e apresentadores: João Bosco Vieira Paschoal, Guido Valamiel, Wilson Vaccari e Alim Machado, que jamais podem ter seus nomes esquecidos na história dos Festivais.

Compartilhe esta postagem

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email

2 comentários “Década de 1980: Os Festivais se abriram para compositores de vários pontos do país”

Deixe uma resposta

Postagens relacionadas

Notícias por Categoria

Cultura

Esportes

Colunas

Seja assinante!

Assine agora mesmo por apenas R$ 47,90 Anuais!

Já é assinante?

Faça seu login!