Monlevade e um nome chamado Pereira, o “Pereira do Grêmio”!

Toda cidade tem suas figuras folclóricas e João Monlevade não foge à regra. Desde os anos dourados, era só andar pela Praça do Cinema, na Praça do Mercado ou no morro do Geo, e deparar com pessoas interessantes, entre elas o grande Pereira, monlevadense da gema, que possuía seu jeito especial de viver.

Isso mesmo, simplesmente Pereira, que por vários anos morou e trabalhou no Grêmio Esportivo Monlevadense. Solteiro convicto, era um apaixonado pelo seu Grêmio e sua história. Era pau pra toda obra, como se diz na gíria. Pedreiro, carpinteiro, bombeiro, gerente e também o responsável em rodar as velhas películas de filmes de Mazzaropi, Charles Chaplin, Zorro e enlatados americanos que eram exibidos na pequena sala de cinema que existia no clube, e funcionava nos finais de semana. Os jovens se aglomeravam ali na salinha para as sessões, que era o ponto de encontro. Mas, seu amor maior mesmo era pelos esportes, principalmente o futebol de salão.

Na fotografia acima, à esquerda, o engenheiro Caetano Mascarenhas, principal responsável pela construção do Grêmio Esportivo Monlevadense, o 1º clube de inclusão social de João Monlevade. Foi um grande incentivador do esporte especializado. E recebendo uma placa em homenagem o grande Pereira, que deu a sua vida ao Grêmio e pelos relevantes serviços prestados ao clube, como preparador de jovens na prática dos esportes. Monlevade muito deve a estas duas grandes figuras.

Compartilhe esta postagem

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email

Deixe um comentário

Postagens relacionadas

Notícias por Categoria

Cultura

Esportes

Colunas

Seja assinante!

Assine agora mesmo por apenas R$ 47,90 Anuais!

Já é assinante?

Faça seu login!