Uma vida dedicada às horas! – Por Marcelo Melo

Acima, a Relojoaria São Geraldo, localizada na Praça do Mercado,a na década de 60. Aqui também funcionava a oficina e aparecem os sócios proprietários Geraldo Alves Fernandes (ao centro) e Didico, à direita.. Ainda na foto José de Dico, da Relojoaria Universal. Reparem na decoração, toda em relógios raros

A instalação da Usina da Belgo-Mineira em João Monlevade foi a chama para que o desenvolvimento sócio-econômico aportasse por toda a região. E desde aquele agosto do ano de 1935 teve início a migração para o ainda desconhecido lugar conhecido como Córrego de São Miguel, com famílias inteiras chegando em busca de uma vida mais próspera. Era gente de vários lugarejos, chegando montados em cavalos, mulas e até em carroças, como foi o caso da Família Fernandes.

O pai, João Alves Fer-nandes, lavrador, decidiu também buscar melhorias e uma vida mais digna para a família. Assim, em companhia da esposa Madalena Alves Martino e dos 10 filhos, mandou montar os cavalos em suas três carroças, juntaram os trapos e saíram de Dom Silvério com destino a João Monlevade. Mal amanhecia e pegaram a estrada de pó. Chegaram aqui em 1935. O patriarca veio para trabalhar no serviço de terraplenagem para instalação da Usina, cujo serviço era feito com as mulas e carroças. E assim criou os filhos e todos fizeram de João Monlevade sua segunda pátria, cada um tomando seu rumo profissional, entre eles Nicolau Alves Fernandes, grande empresário que foi proprietário do 1º cinema da cidade.

Profissão: Relojoeiro

Mas, entre as profissões escolhidas pelos irmãos, uma prevaleceu, que foi a de relojoeiro. E tudo teve início em 1945, no porão da casa em que moravam no Quarteirão da saudosa Rua dos Guaranis, Cidade Alta, casa de nº145, como bem lembrou um dos sócios da Relojoaria e da Ideal Presentes, o menino Raimundo Alves Fernandes, popular “Didico Relojoeiro”. Na época em que deixou Dom Silvério, com apenas 5 anos de idade, teve como mestre o irmão mais velho, Geraldo Alves Fernandes, então com quase 20 anos. E, dez anos mais tarde, iniciavam no ramo. E, em 1952 se mudaram para o point comercial da Vila Operária, a Praça do Mercado. Segundo lembrou Seu Didico, hoje com 82 anos de idade, a Relojoaria foi aberta ao lado da Sapataria de Onofre Machado. “O cômodo foi cedido por ele e pelo seu saudoso pai, Sr. Nicolau Machado, homem muito bom”, destacou o comerciante. A loja foi registrada no dia 2 de maio de 1952, com o nome de “Relojoaria São Geraldo”, em homenagem ao irmão mais velho. Foram muitos anos de labuta ali na praça do Mercado até ser transferida para Carneirinhos.

Para Seu Didico, o irmão Geraldo era o líder entre os irmãos e todos o tinham como conselheiro. Qualquer negócio antes de ser fechado tinha de ter o aval e a opinião dele. “Uma coisa posso garantir: se estamos até hoje no comércio, depois de passarmos por várias situações e termos vencido, devemos muito ao Geraldo, que sempre dava opiniões sábias”, lembrou o irmão mais novo. Didico lembrou ainda que a família sempre teve história na área comercial, desde a fábrica de móveis que instalaram no Bairro Areia Preta, até a construção do Cine São Geraldo e a aquisição do Cine Ipiranga, na cidade de Nova Era. E sempre atuou como sócio o saudoso advogado Onofre Francisco, grande amigo da família.

Ideal Presentes

Vencendo as barreiras, atravessando décadas e sempre atualizando para manter vivo o comércio, Seu Didico é um exemplo disto. Tanto que a “Ideal Presentes” tornou-se um dos estabelecimentos comerciais mais bem montadas da cidade, localizada na área central da cidade, na Avenida Getúlio Vargas, em Carneirinhos. Os filhos aprenderam o ofício e a arte de ser um próspero comerciante e administram a loja logo depois que ele se aposentou. Qualidade, bom atendimento e preço são as marcas da “Ideal Presentes”. E a tradição que veio de família, com relógios de última geração. O irmão mais velho e conselheiro, Geraldo Alves Fernandes, faleceu, mas também se manteve firme e administrando com maestria a sua Relojoaria por muitos anos. O mestre no reparo e na colocação das miúdas peças. Artistas de fato. Profissionais que controlam o mundo pelas horas vividas.

A história continua, de geração em geração

Na foto abaixo, Seu “Didico Relojoeiro”, quando fundou a loja “Ideal Presentes”, consertando no porão de sua casa, localizada na Cidade Alta

*Matéria publicada na edição de nº 162 do jornal “Morro do Geo”, na edição de junho/2012.

Compartilhe esta postagem

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email

Deixe uma resposta

Postagens relacionadas

Notícias por Categoria

Cultura

Esportes

Colunas

Seja assinante!

Assine agora mesmo por apenas R$ 47,90 Anuais!

Já é assinante?

Faça seu login!