CREDIBEL: Os 27 Operários que começaram a história de uma grande Cooperativa!

Acima, a fotografia original dos 27 operários – todos sócios-fundadores da Cooperativa da Belgo-Mineira – e membros da primeira Diretoria da entidade, entre 1968/71

Era o dia 4 de junho do ano de 1967, quando 27 operários da C.S.B.M. se reuniram e cotizaram a importância de CR$ 92,50 (noventa e dois cruzeiros e cinqüenta centavos) e formaram o capital inicial da Cooperativa de Crédito Mútuo dos Empregados da Belgo-Mineira – CREDIBEL. Menos de um mês depois, ou seja, no dia 3 de julho, a CREDIBEL já estava operando e atendendo aos operários da Usina de Monlevade. E foi à base de muito sacrifício e vontade obstinada, que aqueles 37 homens conseguiram fazer do sonho uma realidade, baseados nos princípios da solidariedade, igualdade e mutualidade.

Abaixo fotos que marcaram a fundação e a história da Cooperativa, cujo primeiro presidente foi o senhor José Alencar de Assis.

Na foto abaixo, o verso da foto principal com as assinaturas dos sócios-fundadores me primeiros diretores

José Alencar de Assis, primeiro presidente da Credibel, de 1968 a 1971, ajeita o crucifixo durante solenidade na Cooperativa

Geraldo Braga atuou como presidente durante três mandatos, sendo o primeiro a partir de 1972 a. Aqui, durante um discurso de posse

Em uma solenidade realizada na década de 1970 com o Padre Ilídio. Na foto, entre outros diretores, os ex-presidentes Alencar de Assis, Geraldo Braga e Sebastião Gomes de Melo, outros diretores; o então prefeito Antônio Gonçalves e o ex-diretor da Relações Humanas da Usina de Monlevade, Aroldo Pinto Ávila

O terceiro presidente da Credibel, Edivino Coelho Linhares (terceiro da esquerda para a direita), que aqui aparece ao lado dos ex-presidentes Geraldo Braga e Alpino Gonçalves, e do sócio-fundador Joanes dos Santos (Dandico)

A Belgo-Mineira (hoje ArcelorMittal) sempre manteve um relacionamento estreito com a Credibel. Aqui, em um encontro da entidade, aparece Alonso Starling (segundo da esquerda para a direita), então superintendente da Usina de Monlevade, com alguns diretores

Os operários da Usina sempre participaram das assembléias organizadas pela Cooperativa, como mostra esta fotografia. A entidade sempre teve o compromisso de apresentar o balanço aos seus cooperados

Compartilhe esta postagem

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email

Deixe um comentário

Postagens relacionadas

Notícias por Categoria

Cultura

Esportes

Colunas

Seja assinante!

Assine agora mesmo por apenas R$ 47,90 Anuais!

Já é assinante?

Faça seu login!