CREDIBEL: Os 27 Operários que começaram a história de uma grande Cooperativa!

Acima, a fotografia original dos 27 operários – todos sócios-fundadores da Cooperativa da Belgo-Mineira – e membros da primeira Diretoria da entidade, entre 1968/71

Era o dia 4 de junho do ano de 1967, quando 27 operários da C.S.B.M. se reuniram e cotizaram a importância de CR$ 92,50 (noventa e dois cruzeiros e cinqüenta centavos) e formaram o capital inicial da Cooperativa de Crédito Mútuo dos Empregados da Belgo-Mineira – CREDIBEL. Menos de um mês depois, ou seja, no dia 3 de julho, a CREDIBEL já estava operando e atendendo aos operários da Usina de Monlevade. E foi à base de muito sacrifício e vontade obstinada, que aqueles 37 homens conseguiram fazer do sonho uma realidade, baseados nos princípios da solidariedade, igualdade e mutualidade.

Abaixo fotos que marcaram a fundação e a história da Cooperativa, cujo primeiro presidente foi o senhor José Alencar de Assis.

Na foto abaixo, o verso da foto principal com as assinaturas dos sócios-fundadores me primeiros diretores

José Alencar de Assis, primeiro presidente da Credibel, de 1968 a 1971, ajeita o crucifixo durante solenidade na Cooperativa

Geraldo Braga atuou como presidente durante três mandatos, sendo o primeiro a partir de 1972 a. Aqui, durante um discurso de posse

Em uma solenidade realizada na década de 1970 com o Padre Ilídio. Na foto, entre outros diretores, os ex-presidentes Alencar de Assis, Geraldo Braga e Sebastião Gomes de Melo, outros diretores; o então prefeito Antônio Gonçalves e o ex-diretor da Relações Humanas da Usina de Monlevade, Aroldo Pinto Ávila

O terceiro presidente da Credibel, Edivino Coelho Linhares (terceiro da esquerda para a direita), que aqui aparece ao lado dos ex-presidentes Geraldo Braga e Alpino Gonçalves, e do sócio-fundador Joanes dos Santos (Dandico)

A Belgo-Mineira (hoje ArcelorMittal) sempre manteve um relacionamento estreito com a Credibel. Aqui, em um encontro da entidade, aparece Alonso Starling (segundo da esquerda para a direita), então superintendente da Usina de Monlevade, com alguns diretores

Os operários da Usina sempre participaram das assembléias organizadas pela Cooperativa, como mostra esta fotografia. A entidade sempre teve o compromisso de apresentar o balanço aos seus cooperados

Compartilhe esta postagem

Deixe um comentário

Postagens relacionadas

Notícias por Categoria

Cultura

História

Seja assinante!

Assine agora mesmo por apenas R$ 47,90 Anuais!

Já é assinante?

Faça seu login!