Uma voz chamada Severino Miguel !

O cantor Severino Miguel em uma de suas apresentações, mostrando sua voz maravilhosa

Este é o saudoso Severino Miguel, um dos maiores intérpretes que já passou por João Monlevade e região. “Severo”, como também era conhecido, cantou na noite em cidades do Vale do Aço, Belo Horizonte e em Vitória, entre os anos 1970 e 80, e fez sucesso. Também era o cantor das bandas que tocavam os carnavais no Ideal Clube, Social e Caça e Pesca, levando os foliões ao delírio quando interpretava sambas de enredo. Aqui em João Monlevade, consagrou-se definitivamente em 1974, durante o Festival da Canção realizado no ginásio do Grêmio, quando a cidade completava seu 10º aniversário de emancipação política. Era prefeito o também saudoso Lúcio Flávio de Souza Mesquita, o Dr. Lúcio, e uma grande festa, denominada “Festiaço”, comemorou os 10 anos do município.

Naquela oportunidade, Severino Miguel interpretou a música de autoria de João Rosa, compositor consagrado em festivais e natural da cidade de Caratinga, que levantou a imensa platéia que assistia das arquibancadas do Grêmio. Dizia a letra: (I PArte): “Deixe esse jeito sem jeito, este jeito sem jeito sujeito, que o tempo não vai lhe esperar. Vá embora, que é hora, o melhor é você ir agora para mais tarde não ter que chorar. (Refrão): Saia correndo atrás da alegria, aproveite que ainda é o seu dia e este dia não pode faltar. Vá trocar o certo pelo incerto, e tentar no incerto o certo, que é bem melhor que ficar. (II Parte): Já cansou de cantar todo ano, deixar esta vida esperando este povo lhe entender. Quando o sol desmanchar na estrada alumiando seu nada, aí é que eles vão ver”…

Melhor música do Festival e Severo recebe o prêmio de melhor intérprete, muito merecidamente, consagrando-se definivamente como uma voz de ouro. Dali em diante, Severino Miguel era um nome conhecido em todas Gerais e fez sucesso em vários locais, sempre com aquele vozeirão bonito e seu violão. Mas, levando uma vida boemia, acabou falecendo muito cedo, no início da década de 80, deixando saudade.

Aqui, durante encontro com amigos, toca seu violão. No microfone o amigo Elias e ao fundo o popular Jair do “Raio X”. Fãs não faltavam para o grande “Severo”

Compartilhe esta postagem

Deixe um comentário

Postagens relacionadas

Notícias por Categoria

Cultura

História

Seja assinante!

Assine agora mesmo por apenas R$ 47,90 Anuais!

Já é assinante?

Faça seu login!