Uma Exposição de Fotografias das Praças! Por Marcelo Melo!

Na foto acima, a saudosa Praça do Mercado, onde aparecem o Emporium e o Armazém do Geo, além das carroças. Ao fundo parte do prédio do Ginásio Monlevade (Colégio Estadual), as cúpulas da Usina e algumas casas

Hoje iremos presentear nossos assinantes e amigos com um book de fotografias antigas de João Monlevade, dando destaque às famosas e saudosas praças Ayres Quaresma (“Praça do Cinema”) e Praça do Mercado, que integraram o Conjunto Arquitetônico de nossa cidade e que fez parte da Vila Operária – a 1ª construída na América Latina pelo visionário engenheiro luxemburguês Louis Jacques Ensch.

Façam a sua viagem ao tempo através destas fotos, todas tiradas de nossos arquivos e cujos autores foram três fotógrafos, exímios profissionais – verdadeiros artistas -, contratados por Louis Esch, para deixar registrada a nossa história através das películas em Preto&Branco! Foram eles, por ordem de chegada: Coutinho, Assumpção e Diló!

Na foto abaixo, antes mesmo de se iniciar a bela obra arquitetônica onde se ergueu a Praça do Cinema, a direção da Belgo-Mineira construiu uma Escola, um CInema e um Quartel da Polícia Militar neste espaço, próximo à Portaria-1 da Usina, onde depois funcionou a Farmácia e a Rádio Cultura

Aqui começava a construção da Praça Ayres Quaresma, nome este dado em homenagem a um soldado brasileiro, natural de Rio Piracicaba, morto durante a 2ª Guerra Mundial. Pode-se reparar no detalhe dos arcos, que foram a marca da arquitetura em estilo neoclássico

Abaixo a Praça Ayres Quaresma, que ficou famosa como “Praça do Cinema”, aqui logo após a sua construção

Praça do Mercado, por outro ângulo, aparecendo ao fundo a entrada que dava acesso ao Grêmio Esportivo Monlevadense

Abaixo, a Praça do Mercado, lotada de freguees eos burros que puxavam as carroças; todo o cenário de uma Vila do interior

Na parte de cima da Praça do Mercado, funcionava a Delegacia de Polícia e as feiras, e uma granja

O glamour da Praça do Cinema, onde era o ponto final dos ônibus. Lindas moças desfilando pelas calçadas sob o vistoso prédio em forma de L, onde à direita, ao alto, estava o Ideal Clube, e abaixo, o União Operário. Eram o point dos monlevadenses entre os anos 1950 a 1980

O prédio da Assistência Médica à frente do Ponto final dos ônibus, e ainda a Portaria-1 da Usina da Belgo-Mineira, onde terminava a Praça

Os mascates nas calçadas eram um visual marcante na Praça do Mercado, e de suas malas saiam suas mercadorias para serem vendidas aos fregueses

Abaixo, outro ângulo da Praça do Mercado, aparecendo à direita, ao lado de cima, as casas da Cidade Alta, e à esquerda, mais abaixo, as primeiras casas da Rua Piracicaba. Esta fotografia é bem anterior à construção do Grêmio Esportivo Monlevadense, que se deu no início da década de 1950

O lindo e moderno Conjunto Arquitetônico da Praça Ayres Quaresma, saudosa “Praça do Cinema”, nesta fotografia da década de 1950, onde aparecem os velhos carros da Ford e os ônibus “Jardineira”. Os arcos que davam vida ao estilo neoclássico vindo do Velho Continente e aqui estavam instalados os clubes ideal e União Operário, os bares, o Cine Monlevade, a agência do INPS, o Foto Diló, a Farmácia de Seu Vicente, a Rádio Cultura, consultórios médicos e odontológicos, A Barbearia de Seu Bramante e toda uma história. Tudo destruído em nome do “progresso”, no ano de 1988, mas sem nenhuma necessidade, transformado num pátio vazio e solitário! Restaram apenas os prédios da Assistência Médica e do Colégio Estadual, que não faziam parte deste Complexo

Para terminar nosso book, uma fotografia que faz parte da história do nosso jornal, o “Morro do Geo”, e de João Monlevade, o saudoso Sr. Enéias tocando sua flauta transversal e vendendo seus amendoins e outras mercadorias na Praça do Mercado

Compartilhe esta postagem

Deixe um comentário

Postagens relacionadas

Notícias por Categoria

Cultura

História

Seja assinante!

Assine agora mesmo por apenas R$ 47,90 Anuais!

Já é assinante?

Faça seu login!